Saiba como proteger seu cão da cinomose

Moradores de Santa Maria/RS devem estar alertas pois tem havido um grande aumento da incidência de Cinomose nos cães da região. Inclusive em animais que não possuem contato com outros animais ou não andam na rua. A Cinomose é uma grave doença que afeta cães, gerando muito sofrimento e óbito na maioria dos casos.

Por isso preparamos esse post especial sobre Cinomose para explicar o que é a doença, quais os principais sintomas, como prevenI-la e tratá-la. Leia com muita atenção, a saúde de seu amigão pode estar em risco!

O que é a Cinomose?

Trata-se de uma doença altamente contagiosa, provocada pelo vírus CDV (Canine Distemper Vírus). Ele atinge todo o organismo do cão, levando-o a óbito na maioria dos casos. Além disso, ainda causa grande sofrimento ao animal e os poucos que obtém cura apresentam sequelas neurológicas (cegueira, paralisia, problemas motores etc.). Por isso a prevenção ainda é o melhor caminho.

Outra informação importante é que a Cinomose não é uma zoonose, ou seja, não transmite para humanos nem para outros animais comogatos, coelhos, etc.. Por isso é possível manipular sem problemas o animal doente. Porém ele não pode ter contato com outros cães pois o risco de contaminação é altíssimo.

Quais os sintomas da Cinomose?

É muito importante estar atento aos sintomas, pois o quanto antes o tratamento for iniciado, maiores serão as chances do cão se recuperar e menores serão as sequelas. Um problema grave é que muitos tutores confundem os sintomas da fase inicial com outras doenças, o que acarreta na demora do diagnóstico. Ou pior, apelam para auto medicação, o que coloca o cão em grande risco.

Portanto, ao apresentar quaisquer um dos sintomas listados abaixo, deve-se levar o cão imediatamente ao veterinário. Confira os principais sintomas:

  • Febre muito alta.
  • Secreção nasal e ocular.
  • Indisposição.
  • Perda do apetite.
  • Vômito, diarreia e desidratação.
  • Dificuldade de respirar.
  • Movimento de contração
  • Pústulas na barriga e no focinho.
  • Andar desorientado.
  • Convulsão.

É importante destacar que os sintomas vão variar de animal para animal, de acordo com a gravidade da doença. Por isso é sempre importante levar seu pet ao veterinário em qualquer sinal de doença e também fazer visitas periódicas, bem como manter as vacinas em dia.

Como tratar a doença?

Como dito anteriormente: ao apresentar qualquer um dos sintomas listados anteriormente leve seu cão imediatamente ao veterinário. A Cinomose precisa ser identificada o quanto antes para minimizar os danos e aumentar as chances de sobrevivência do seu pet.

Além disso jamais automedique seu cãozinho. Muitos remédios são tóxicos para eles, podem agravar a doença ou ainda “disfarçá-la”, prejudicando o correto diagnóstico pelo veterinário.

O tratamento da Cinomose é complexo principalmente pelo seguinte fator: não existe medicamento que combata o vírus CDV. Porém isso não significa que não há cura. Quem irá combater O vírus é o próprio organismo do animal.

Por esse motivo toda a medicação visa ajudar o cão a ganhar resistência e combater a doença. Vitaminas, medicamentos e diversos tipos de tratamentos são usados para ajudar o animal a vencer a doença. 

O uso de células tronco também tem apresentado resultados satisfatórios, porém é um tratamento experimental e caro, sendo que não está disponível para muitas situações. Resumidamente, o melhor tratamento é a prevenção.

Como prevenir a Cinomose?

Santa Maria /RS está enfrentando um alarmante aumento de casos de Cinomose. Muitos cães que estão fora do grupo de risco estão apresentando a doença (Pets que não tem contato com outros ou não têm acesso a rua).

A melhor maneira de prevenir e garantir que o seu pet não seja acometido deste mal é manter o esquema vacinal – assim você protege seu pet, não apenas da cinomose, mas também de outras doenças virais.

Então olhe com muito cuidado a carteirinha de vacinação de seu cão e veja se as vacinas estão em dia. Caso não, corra para a clínica veterinária e regularize o quanto antes. A saúde e o bem-estar de seu cão, bem como de sua família, pode estar em risco.

Gostou do conteúdo? Então assine a nossa newsletter e receba as melhores dicas para seus pets.

 

 



Categorias:
Diversos |